A ortopedia e a sua saúde

>, Associado > Artroscopia e traumatologia do esporte, Blog, Coluna > Lesões, RIO GRANDE DO NORTE>Lesão na Coluna por mergulho em água rasa – um prazer que pode sair caro

Lesão na Coluna por mergulho em água rasa – um prazer que pode sair caro

A água vista superficialmente dificulta a noção de profundidade e causa esta confusão

Os dias de calor estão intensos neste verão e a sensação térmica está mais evidente. Com isso surge a vontade de se refrescar a todo custo e nada mais convidativo que uma piscina ou uma cachoeira com água fresca. Uma prática comum, porém muito perigosa são os mergulhos em locais assim, que se tornam convidativos com a ideia de diminuir a temperatura corporal. É o que costumamos chamar de “mergulho em água rasa”. Infelizmente é frequente vermos crianças e adultos jovens realizando esta prática durante os dias de calor. A água vista superficialmente dificulta a noção de profundidade e causa esta confusão. A Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) classifica o mergulho em água rasa como a quarta causa de lesão medular no Brasil e se torna a segunda causa de lesão na medula nesta época do ano.

A maioria das lesões acontecem em jovens na faixa etária de 10 a 30 anos, geralmente localizadas na coluna cervical. As lesões podem variar desde traumas musculares como contraturas que podem cicatrizar de forma mais precoce até lesões e fraturas associadas a deslocamentos das vértebras. Podem cursar com alterações neurológicas causando perda de sensibilidade e da força muscular, podendo atingir os quatro membros do paciente.

Deve-se ter muito cuidado ao querer ajudar neste momento, pois uma manipulação realizada de forma incorreta pode piorar a lesão. A vítima deve ser salva e levada para fora da água para prevenir o afogamento e aguardar a chegada da equipe médica especializada no atendimento de emergências. Peça ajuda se presenciar um evento semelhante.

No hospital, os médicos especializados irão avaliar e recomendar o melhor tratamento. Em casos leves, colares podem ser indicados e em situações mais graves a cirurgia pode ser a única solução.

Cuidado e previna-se: a lesão na medula afeta os movimentos e a sensibilidade dos membros, podendo ter um final drástico.

Dicas:

– Não mergulhe em águas turvas ou desconhecidas;

– Não mergulhe após ingerir bebida alcoólica ou outras substâncias que atrapalhem os reflexos;

– Evite empurrar os amigos para dentro da água;

– E cuidado ao tentar ajudar uma pessoa que sofreu este tipo de lesão: caso queira que ela mexa a cabeça poderá piorar a lesão. O mais importante é imobilizar e chamar ajuda médica para adequada avaliação.

Prevenir é o melhor remédio!

*Dr. Alynson Larocca Kulcheski, ortopedista do Hospital VITA (Curitiba – PR), especialista em coluna, membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), Membro da Sociedade Brasileira de Coluna (SBC) e Membro da Sociedade Brasileira de Coluna Minimamente Invasiva (SBC.MISS).

Destaques da SBOT

Membro quite tem desconto no Congresso Anual SBOT!
Por favor, aguarde enquanto estamos te redirecionando.
Confira as principais recomendações sobre a pandemia da COVID-19