Notícias

>>AMB divulga boletim sobre a eficácia das vacinas para COVID-19

AMB divulga boletim sobre a eficácia das vacinas para COVID-19

By |2021-07-14T09:13:08-03:0014/07/2021|Notícias|

Na última segunda-feira (12), a Associação Médica Brasileira (AMB) divulgou o boletim 015/2021 do Comitê Extraordinário de Monitoramento COVID-19 à respeito da eficácia e segurança das quatros vacinas aplicadas no Brasil. 

“É essencial ainda que todos os cidadãos saibam que as quatro vacinas disponíveis no país, a saber Sinovac, AstraZeneca/Oxford, Pfizer/BioNTech e Janssen/J&J, apresentaram excelente resultado preliminar”, compartilha a AMB. 

Atualmente, os dados mostram que as vacinas apresentam êxito para evitar COVID-19 grave e óbito entre 80 e 95%. Assim, diminuindo a sobrecarga ao sistema de saúde público e privado. Tal resultado comprova o elevado sucesso da vacina, obtidos nas pesquisas clínicas fase 3, quando o risco da ocorrência destes desfechos da doença entre voluntários vacinados é comparado ao risco observado no grupo controle.

Ainda em nota, a Associação afirma que, apenas a vacinação em massa e de forma célere, associada à manutenção das medidas não farmacológicas, permitirá que possamos voltar, o mais breve possível, para um cenário próximo à vida pré-pandemia. Por isso, é indispensável que todo cidadão receba sua vacina, independentemente de qual das quatro atualmente disponíveis, assim que for chamado para ser imunizado.

O boletim começa com uma pergunta “Há necessidade de dose de reforço para as pessoas que já receberam vacinação completa para COVID-19?”, que é respondido ao final do documento, em que a AMB afirma não recomendar a terceira dose, visto que a vacinação completa da população ainda não ocorreu, e que os estudos sobre a vacinação de reforço ainda estão em análise. 

Para conferir o boletim na íntegra acesse aqui. 

Destaques da SBOT

Membro quite tem desconto no Congresso Anual SBOT!
Por favor, aguarde enquanto estamos te redirecionando.
Confira as principais recomendações sobre a pandemia da COVID-19